Warning: preg_match() [function.preg-match]: Unknown modifier 't' in /home/edufinan/public_html/wp-content/plugins/mobile-website-builder-for-wordpress-by-dudamobile/dudamobile.php on line 603
Vai investir no Tesouro Direto? Esclareça suas dúvidas antes | Instituto de Educação Financeira

Finanças Pessoais

Vai investir no Tesouro Direto? Esclareça suas dúvidas antes

O investimento em títulos públicos, por meio do programa Tesouro Direto, cresceu de forma importante nos últimos anos. De acordo com dados do próprio Tesouro Nacional, de dezembro de 2005 até março deste ano, o número de investidores já aumentou quase seis vezes, de 49,5 mil para 292,2 mil – o programa existe desde 2002.

Ao mesmo tempo, muitos investidores ainda têm dúvidas em relação a este tipo de aplicação. A gerente adjunta de relacionamento institucional do Tesouro Nacional, Flávia Barbosa, explica que o Tesouro não possui dados tabulados sobre as principais perguntas que chegam na caixa do “Fale Conosco”, mas que as questões operacionais ainda são maioria. “Recebemos muitas dúvidas em relação a aspectos operacionais do programa. Questões como senhas, cadastro, como fazer a compra do título”, afirma.

Perguntas gerais, sobre o que é o programa Tesouro Direto, também costumam aparecer com certa frequência. “As pessoas ouvem falar, leem alguma matéria a respeito ou então assistem alguma reportagem e acabam pedindo mais informações”, ressalta Fávia.

Além disso, os cálculos da rentabilidade e a oscilação diária dos títulos ainda provocam muitas dúvidas entre os aplicadores. “A marcação a mercado aparece sempre entre as perguntas”, afirma Flávia (veja a explicação para isto abaixo).

Para solucionar os principais questionamentos dos investidores, o programa conta com uma seção com respostas para as perguntas mais freqüentes. Confira abaixo algumas perguntas e respostas do Tesouro para os investidores*:

Quem pode comprar títulos no Tesouro Direto?
De acordo com o Tesouro Nacional, podem comprar os títulos t odos os residentes no Brasil que CPF (Cadastro de Pessoa Física) e sejam cadastrados em alguma das Instituições Financeiras habilitadas a operar no Tesouro Direto.

Como comprar títulos no Tesouro Direto?
Para comprar os títulos o investidor deve se cadastrar por meio de um agente de custódia – que pode ser uma Corretora de Valores, Banco Comercial, Múltiplo ou de Investimento e Distribuidora de Valores.

Após o cadastro, o investidor recebe uma senha, via correio eletrônico, que permite o acesso à área exclusiva do Tesouro Direto e já pode comprar os títulos. Além disso, alguns Agentes de Custódia também possibilitam a aquisição de títulos diretamente em seus sites, mediante integração com o site do Tesouro Direto.

É importante lembrar que é possível comprar, no mínimo 0,2 título (aproximadamente R$ 100,00) e no máximo R$ 400.000,00 por mês. Basta escolher, dentre os títulos que estiverem disponíveis para compra, aquele que mais lhe interessa.

Como posso alterar a minha senha e o meu endereço de correio eletrônico?
A senha e o seu endereço de correio eletrônico podem ser alterados na área exclusiva do Tesouro Direto. Basta clicar em “Dados Cadastrais”, informar a senha atual e a nova senha. “Para confirmar a alteração, digite outra vez a nova senha e clique em ‘Alterar’”, explica o site.

Há cobranças de taxas?
O Tesouro explica que são cobradas 3 taxas dos investidores. No momento da compra do título, é cobrada uma taxa de negociação de 0,10% sobre o valor da operação. Há também uma taxa de custódia da BM&FBovespa de 0,30% ao ano sobre o valor dos títulos, referente aos serviços de guarda dos títulos e às informações e movimentações dos saldos, que é cobrada semestralmente.

Os agentes de custódia também cobram taxas, que podem ser visualizadas no site do Tesouro Direto. “O investidor deve confirmá-las no momento da contratação”, ressalta o Tesouro.

Assim, no momento da operação de compra o investidor pagará o valor da transação, mais 0,10% sobre o valor da transação (taxa de negociação BM&FBovespa) mais a taxa do agente de custódia referente ao primeiro ano de custódia. Caso o título tenha vencimento inferior a um ano, a taxa do agente de custódia será proporcional ao prazo do título.

Por que há variações nos valores em meu saldo?
Em relação à oscilação diária no valor dos títulos, o Tesouro lembra que eles são marcados a mercado. “Os seus preços para efeito de registro (extrato) e de revenda refletem sempre os preços pelos quais títulos idênticos estão sendo efetivamente negociados em mercado num determinado momento.

É importante lembrar que o preço dos títulos é determinado matematicamente em função da taxa de juros e da quantidade de dias úteis até seu vencimento. “Ocorre que as taxas de juros dos títulos variam no mercado ao longo do tempo. Em um mesmo dia, em dois momentos diferentes, um título pode ser negociado a taxas diferentes e, por conseguinte, a preços diferentes. Dessa forma, os preços dos títulos estão sempre mudando, seja pela ação do tempo ou das mudanças nas taxas de juros”, explica o Tesouro Nacional.

No entanto, a rentabilidade negociada no momento da compra é garantida pelo Tesouro, desde que o investidor mantenha o título em carteira até seu vencimento. “A posição constante do extrato reflete os preços vigentes em mercado, sendo referência para os investidores que desejam revender os papéis ao Tesouro Nacional antes do vencimento”, conclui o texto do site.

O site do Tesouro Direto ressalta ainda que o investidor pode consultar, 24 horas por dia, 7 dias por semana, o seu saldo e extrato de títulos atualizados. É só entrar na área exclusiva do Tesouro Direto, e clicar na opção “Consultas” – “Saldo” ou “Consultas” – “Extrato”. Além disso, no último dia do mês, a CBLC lhe enviará, por meio de correio eletrônico, um extrato contendo o seu saldo de títulos e as movimentações realizadas durante o mês.

* Perguntas e respostas retiradas do site do Tesouro Direto, no link: http://www.tesouro.fazenda.gov.br/tesouro_direto/faq.asp

Do portal Infomoney
Você gostou deste artigo? Compartilhe:

Deixe seu recado