Warning: preg_match() [function.preg-match]: Unknown modifier 't' in /home/edufinan/public_html/wp-content/plugins/mobile-website-builder-for-wordpress-by-dudamobile/dudamobile.php on line 603
Vai começar a investir em 2012? Confira 10 dicas para se sair bem | Instituto de Educação Financeira

Finanças Pessoais, Notícias

Vai começar a investir em 2012? Confira 10 dicas para se sair bem

O ano de 2012 está chegando e, para muitos, ano novo é sinônimo de novos projetos e mudanças em diversas áreas da vida, inclusive nos investimentos pessoais.

Por isso, se você ainda não investe e está disposto a começar no próximo ano, confira 10 dicas de especialistas ouvidos pelo InfoMoney.

1- Defina seu padrão de risco
O diretor da Valore Investimentos Personalizados, Sergio Quintella, afirma que, em primeiro lugar, o investidor deve entender qual é o seu perfil de risco, para a partir daí poder traçar metas e objetivos. O especialista da MoneyFit, Antonio De Julio, concorda. “Você aceita ‘passar nervoso’? Tem estômago para a renda variável? Conhece o mercado imobiliário?”, questiona.

Segundo Quintella, para quem aceita correr um risco maior, o momento pode ser considerado bom para entrar na Bolsa de Valores aos poucos, com aportes pequenos e constantes. “Há papéis muito baratos, que apresentam uma grande distorção de preços”, diz. “Para curto e médio prazo, recomendo ações que se beneficiam com o crescimento interno do País e, para médio e longo prazo, o ideal são ações de commodities, que apresentam boa gestão e múltiplos atraentes”, aconselha.

Já na renda fixa, ele aconselha que o investidor busque um portfólio diversificado, com papéis atrelados à inflação. “Isso porque os índices de preços devem permanecer altos em 2012”, afirma.

2– Trace uma estratégia
O especialista da MoneyFit aponta a importância de definir uma estratégia de investimento antes de começar. “Você precisa se perguntar quanto vai colocar por período, se a aplicação será mensal ou semanal, entre outras coisas, para então escolher o investimento”, afirma.

3 – Eduque-se financeiramente e procure assessoria adequada
O diretor da Valore aponta que o investidor precisa entender o que acontece com suas aplicações, não importa se o valor investido seja baixo ou alto. Além da educação financeira, ele afirma que é importante procurar por assessoria adequada. “Vejo muitas pessoas saindo da bolsa em períodos de baixa e entrando na bolsa em períodos de alta, sem saber o que está acontecendo. São pessoas movidas pela paixão, com pouco conhecimento e sem assessoria”, diz.

4- Defina o tempo da operação
Saber por quanto tempo o dinheiro poderá ficar aplicado é mais importante do que o aporte, na opinião do especialista da MoneyFit. “Quanto maior o tempo, menor o imposto de renda”, lembra De Julio.

5 – Desconfie do lucro fácil e abundante 
Em 2011, a CVM (Comissão de Valores Mobiliários) determinou o encerramento das atividades de várias empresas e pessoas que ofereciam investimentos e assessoria de forma irregular, prometendo inclusive ganhos acima da média. “Todo cuidado é pouco, principalmente quando se está iniciando”, afirma De Julio.

6 – Tenha a mente aberta
Ficar restrito apenas a investimentos tradicionais, que você já conhece, pode significar a perda de boas oportunidades. “Pesquise novas aplicações, saiba ler o ‘cardápio’ do banco. O mundo dos investimentos é maior do que poupança e previdência”, diz De Julio.

7– Defina uma estratégia de saída
Saber o momento de entrar em um investimento é importante. Mas saber a hora certa de sair também é fundamental, principalmente no caso de aplicações mais voláteis (que oscilam mais) como o mercado acionário. Por isso, De Julio afirma que é importante definir o objetivo do investimento (trocar de carro, estudo, viagem, aposentadoria, etc) e já traçar qual será a estratégia de saída.

8 – Procure conhecer as regras do investimento
Os especialistas ressaltam que o futuro investidor deve procurar conhecer as regras dos investimentos, para escolher a aplicação mais adequada. “É preciso olhar o histórico dos ativos, os riscos e retornos e o cenário econômico”, diz Quintella.

9 – Dedique de 5 a 10 minutos ao dia
De acordo com Quintella, esse tempo deve ser gasto para realizar uma realocação de carteira (junto com o assessor de investimentos), checar as finanças pessoais (gastos que podem ser eliminados ou reduzidos). “O intuito é conseguir investir 20% do que se ganha”, afirma.

10 – Quanto antes, melhor
Se você pretende começar a investir em 2012, não fique apenas nas promessas. Comece o quanto antes. “Quem começa cedo tem o tempo a seu favor”, conclui De Julio.

Do Portal InfoMoney
Você gostou deste artigo? Compartilhe:

Deixe seu recado