Warning: preg_match() [function.preg-match]: Unknown modifier 't' in /home/edufinan/public_html/wp-content/plugins/mobile-website-builder-for-wordpress-by-dudamobile/dudamobile.php on line 603
Três dicas para sair do vermelho | Instituto de Educação Financeira

Finanças Pessoais, Notícias

Três dicas para sair do vermelho

Assuntos sérios abordados de forma engraçada, provocando risos na plateia. Em alguns momentos, o primeiro dia da Expo Money, maior evento de educação financeira da América Latina, parecia aula de cursinho. Bastante gente esteve ontem no Centro Sul, em Florianópolis, para aprender como lidar com o dinheiro. Lições de economia foram passadas em oito palestras curtas, de no máximo 50 minutos, com profissionais que dominam muito o assunto e tratam os temas de forma leve. Hoje, mais oito nomes sobem ao palco. Para participar basta se inscrever no site www.expomoney.com.br, clicando no link Florianópolis. O DC acompanhou palestras e separou sugestões para ajudar o leitor a quitar as dívidas. Amanhã, será a vez de dar dicas para fazer o dinheiro render e construir patrimônio e garantir uma aposentadoria tranquila.

1 Faça contas diariamente

Quando o salário é curto para 30 dias, aparecem as dívidas. O cartão de crédito e o cheque especial viram uma bola de neve. Para sair do vermelho, a primeira providência que a família deve adotar é fazer o orçamento doméstico. Ele consiste em colocar no papel todos os gastos. É preciso repetir o procedimento nos 30 dias seguintes, mas com um detalhe que faz toda a diferença. Anotações diárias de todas as despesas.

O professor Luis Carlos Ewald, mais conhecido como o Senhor Dinheiro, do Fantástico, diz que este sim é o orçamento real, porque mostra o sorvete depois do almoço, a cerveja no começo da noite e o dinheiro fora da mesada dado às crianças. Em seguida, o endividado deve separar os gastos por temas: comer, ir e vir, vestir, cuidados pessoais, saúde, lazer, estudo e despesas financeiras. É preciso avaliar os dados e decidir onde cortar. O professor da UFSC Jurandir Macedo ressalta que apenas um orçamento permite fazer escolhas conscientes.

2 Empreste de parentes

Pagar juros no cheque especial ou cartão de crédito é o mesmo que ter o banco como sócio, diz o professor Luiz Carlos Ewald. A cada contracheque. parte considerável vai para instituição financeira.

A dica de Ewald é recorrer aos parentes. Pais, tios, irmãos e primos deixam põem o dinheiro no banco, que não rende 1% ao mês, enquanto o endividado paga 15% neste período. Com o empréstimo, quem tem as dívidas passa a remunerar os familiares com o índice da poupança ou de fundos de renda fixa.

Outra dica é parar de pagar anuidade de cartão de crédito e tarifas bancárias. Ewald afirma que é possível conseguir se livrar das taxas. A tarefa custa certa dose de paciência durante uma ligação que dura uns 40 minutos. A pessoa que fala em nome da operadora ou da instituição financeira vai argumentar que a promoção da concorrente dura somente um ano. Mas o professor lembra, daqui a 12 meses, será aquele banco ou bandeira de cartão que fará a oferta.

3 Não acredite em juro zero

As lojas colocam cartazes gigantes na vitrina dizendo que o juro é zero e as parcelas são de perder de vista. Puro papinho. Luiz Carlos Ewald explica que, para poder financiar em várias prestações com o mesmo preço da etiqueta, os comerciantes aumentam o preço à vista e escondem os juros. O professor também ressalta que os consumidores devem sempre pechinchar. Sugere pagar em dinheiro porque as notas impressionam e evitam que os estabelecimentos paguem as taxas da operadora de cartões.

Para Ewald, as pessoas não devem ter vergonha de serem taxadas de mão de vaca. Ele conta que este tipo de consumidor é alguém sem dívidas, o que significa a possibilidade de comer em bons restaurantes, viajar e fazer investimentos pensando no futuro. Jurandir Macedo aconselha a não comprar pensando em status social. Ele afirma que muita gente faz dívida para ter um carro, celular ou roupa acima da capacidade financeira só pensando em afirmação social.

diario.com.br

> Participe de chat, hoje, às 15h, com Martin Iglesias sobre planejamento financeiro pessoal.

 

Você gostou deste artigo? Compartilhe:

2 comentários to “Três dicas para sair do vermelho”

  1. Estou negativada, tenho renegocição de financiamento de carro e emprestimo devo por mes o dobro do que eu ganho o que eu faço?
    Estou quase Emloquecendo

Deixe seu recado