Finanças Pessoais

Pesquisa revela qual destino do 13º

Um em cada quatro consumidores catarinenses prefere guardar o 13° salário. É o que aponta pesquisa feita pelo Instituto Mapa a pedido da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas (FCDL-SC).

Segundo o levantamento, 25,8% dos entrevistados disseram que o dinheiro pode representar uma folga no seu bolso ou ainda ajudar a suavizar as contas de janeiro. Outros 23,6% revelaram o desejo de pagar dívidas ou antecipar as contas que vencerão nas próximas semanas.

O percentual de pessoas que querem guardar dinheiro é alto e demonstra a intenção de poupar ou liquidar as dívidas existentes antes de fazer novas despesas, ressalta o presidente da FCDL-SC, Sérgio Medeiros. A entidade apurou que o índice de inadimplência no comércio, que tem se mantido entre 2,3% e 3%, fechou o mês de outubro em 2,7%.

– É muito bom ter um percentual baixo de endividados ou planejando quitar as dívidas, porque isso injeta dinheiro no caixa do lojista. O empresário poderá pagar antes os seus fornecedores, o que é saudável também para as indústrias – diz Medeiros.

Para o especialista em finanças pessoais Jurandir Sell Macedo, querer economizar dinheiro é importante, mas, além disso, é preciso observar se a vontade se concretiza.

– O salário adicional deve ser usado para saldar as dívidas e garantir uma reserva financeira, que deve ser entre três e seis vezes os gastos mensais – ensina Macedo, doutor em Finanças Comportamentais e professor da Universidade Federal de Santa Catarina.

Do Jornal Diário Catarinense
Você gostou deste artigo? Compartilhe:

Deixe seu recado