Warning: preg_match() [function.preg-match]: Unknown modifier 't' in /home/edufinan/public_html/wp-content/plugins/mobile-website-builder-for-wordpress-by-dudamobile/dudamobile.php on line 603
Norma Sit: “Joias não são investimentos” | Instituto de Educação Financeira

Notícias

Norma Sit: “Joias não são investimentos”


da Revista Época.

Autora de livro de finanças para mulheres revela os principais erros – e virtudes – delas com o dinheiro

A empresária cingalesa Norma Sit vem de uma família humilde e desde cedo aprendeu a valorizar o dinheiro. Num país em que, até dois anos atrás, as mulheres ganhavam praticamente a metade do salário dos homens para uma mesma função, a luta pela independência financeira foi ainda mais difícil. Focada em seus objetivos financeiros, Norma conquistou cargos importantes – chegou a presidir uma empresa de tecnologia – e, agora, quer dividir seu conhecimento com o público feminino. Membro do Fórum Internacional de Liderança Feminina, escreveu um livro sobre finanças para mulheres – Linda, sexy e rica! (editora Gente), lançado recentemente no Brasil. Norma diz que as mulheres até sabem o que fazer com o dinheiro, mas têm dificuldade de agir em seu próprio interesse.

Quem é

Norma Sit nasceu em Cingapura, onde mora com os dois filhos. Formou-se em engenharia na Austrália e fez pós-graduação em administração pública na Universidade Harvard.

O que fez

É conselheira de negócios da Mint Wireless, uma empresa de pagamentos via celular, e fez parte do Conselho de Desenvolvimento Econômico de Cingapura. Integra o Fórum Internacional de Liderança Feminina e é autora de Linda, sexy e rica! (2011).

 

ÉPOCA – A senhora afirma que entender de finanças é mais importante para as mulheres do que para os homens. Por quê?
Norma Sit –
As estatísticas nos Estados Unidos mostram que mais de 75% das mulheres tendem a ficar viúvas até os 56 anos, e 90% de todas as mulheres – seja por divórcio, viuvez ou por nunca terem se casado – serão as únicas responsáveis por seu sustento em algum ponto da vida. Uma em quatro mulheres vai à falência dois meses depois da morte do parceiro, e 87% dos idosos em situação de indigência são mulheres. No divórcio, as mulheres perdem 27% em seu padrão de vida, e os homens ganham 10%. Para ficar sempre bem, as mulheres têm de cuidar de si mesmas.

ÉPOCA – Por que, em geral, as mulheres têm menos intimidade com as finanças?
Norma –
As mulheres, historicamente, coletavam – compravam – coisas e distribuíam para os membros da família. Fazia parte de seu instinto cuidar dos outros, às vezes em detrimento de si mesmas. Mas esse deixou de ser um modelo correto, já que a mulher precisa ser independente. É comum elas terem informação – seu ponto fraco é conseguir agir em seu próprio interesse financeiro.

ÉPOCA – Um estudo recente mostrou que meninas de 6 anos já acham que matemática não é para elas. As mulheres precisam superar uma aversão aos números?
Norma
As pesquisas mostram que meninas, crianças ou adolescentes, tendem a ter um desempenho pior em matemática quando estão em classes mistas. Quando estudam só com garotas, parecem ir melhor. Isso sugere que, socialmente, somos levadas a acreditar que não podemos ser tão boas quanto os meninos com números. Por isso, se tiver uma filha, tente colocá-la numa escola só para meninas.

ÉPOCA – A senhora concorda com a crença de que os homens se realizam buscando dinheiro e as mulheres amor?
Norma
Embora eu não tenha visto nenhum estudo que diga isso, é provável que mais homens estejam percebendo que o amor é importante e mais mulheres vendo que o dinheiro é importante. Mas ainda hoje há mulheres jovens, ambiciosas, em posições de liderança, que tendem a colocar o casamento e o amor muito alto na lista de prioridades. Ter metas financeiras pessoais e lutar para atingi-las deveria ser tão importante quanto manter um relacionamento. Sem dinheiro, as relações ficam tensas e correm risco. Sem dinheiro, nossos filhos têm vida difícil.

ÉPOCA – Quais são os erros mais comuns das mulheres nas finanças?
Norma
Um erro óbvio que as mulheres cometem é comprar joias e achar que estão fazendo investimento. E claramente não estão. Mas elas também acertam: as mulheres são mais cuidadosas e pesquisam mais antes de investir. Como resultado, nossos investimentos costumam ser melhores do que os dos homens. Também tendemos a agir menos no reflexo, o que nos ajuda a manter nossos portfólios por mais tempo.

ÉPOCA – Por que os homens são maioria entre os investidores de ações?
Norma
Há algumas razões para isso: 1) as mulheres precisam planejar suas finanças e poupar o suficiente antes de investir; 2) elas são mais tímidas para investir: pesquisadores concluíram que os homens ficam mais animados com as perspectivas de ganhar e perder do que as mulheres. Eles geralmente atingem picos de ganho na alta porque são mais ousados – e isso não é exatamente sábio; 3) elas são cuidadosas demais. Pensam que têm de saber todos os detalhes – mas, às vezes, isso não é possível.

ÉPOCA – Qual é o papel do parceiro na vida financeira das mulheres?
Norma
Se tivermos um bom parceiro, podemos trabalhar juntos. E isso não significa deixar as coisas na mão dele para que faça o trabalho enquanto olhamos. Significa que a mulher sabe exatamente qual é sua situação financeira e tem acesso a meios para se manter.

ÉPOCA – Quais são suas recomendações para quem vai se casar e quer evitar problemas financeiros?
Norma
Mantenha uma conta separada – com pelo menos parte de seu dinheiro – para ter independência. Fale sobre dinheiro com seu futuro marido. Se não puder falar sobre dinheiro, algo não está certo no relacionamento. Estude os hábitos financeiros dele. Se é um perdulário, você não conseguirá mudá-lo. Se é um apostador, também não. Lembre-se de que você está se casando com as finanças dele também. Decida se quer os problemas e os maus hábitos dele.

ÉPOCA – Como o fato de ser mãe altera a vida financeira de uma mulher?
Norma
Tendemos a colocar as crianças acima de nós mesmas, o que não está errado. Mas, se fizermos isso a despeito de nosso bem-estar futuro, não estaremos ajudando nossos filhos. Temos de nos lembrar que pode haver um período em que podemos nos tornar as únicas responsáveis por nós mesmas e por nossas crianças. A independência financeira é ainda mais crucial para nós, que temos filhos. Ter filhos dificulta atingirmos nossas metas financeiras. Não porque eles se colocam no meio do caminho, mas porque nós sacrificamos de bom grado as promoções só para poder cuidar deles. Sugiro que as mulheres discutam com seus maridos para garantir que não acabem na pior só porque sacrificaram sua carreira pelos filhos.

ÉPOCA – Seu livro tem um capítulo que ensina amantes a cuidar das finanças…
Norma
Quando digo “amante”, não estou falando de mulheres que vivem à custa de homens casados. Estou falando de mulheres que se apaixonam por homens casados, e vice-versa. E, sim, as pessoas se apaixonam. Uma mulher que é amante de alguém também deve cuidar de suas finanças e não acreditar que seu parceiro vá cuidar disso. Porque, geralmente, esses relacionamentos acabam, e a mulher pode ficar sem nada.

Você gostou deste artigo? Compartilhe:

Deixe seu recado