Warning: preg_match() [function.preg-match]: Unknown modifier 't' in /home/edufinan/public_html/wp-content/plugins/mobile-website-builder-for-wordpress-by-dudamobile/dudamobile.php on line 603
Mitos e verdades da previdência privada | Instituto de Educação Financeira

Notícias

Mitos e verdades da previdência privada

Para quem quer garantir o futuro, se preocupar com os meios para se obter uma aposentadoria que consiga suprir as necessidades na melhor idade e que ainda permita manter um estilo de vida próximo ao que se tem hoje é o primeiro passo. Afinal, apenas o benefício da Previdência Social pode não ser suficiente nessa fase da vida.
Optar por um plano de previdência privada  é uma das formas de garantir uma aposentadoria tranquila. Contudo, ainda há muitas dúvidas em torno desse investimento. Por quanto tempo é preciso manter um plano desse tipo? É possível ter outros benefícios com o plano privado, além da aposentadoria?

Quem pode contratá-lo?

Antes de escolher seu plano de previdência complementar é preciso esclarecer alguns mitos, bem como reiterar algumas verdades. Para tanto, o diretor de distribuição em canais bancários da MetLife, Flavio Sahib, aponta quais são as dez principais questões da previdência privada.

Os cinco mitos

Mitos e lendas não faltam quando o assunto é previdência complementar. Para quem pensa em contratar esse tipo de plano precisa ficar atento a vários aspectos ligados ao seu estilo de vida, renda e perfil. Contudo, a ideia de que quando se é muito jovem ou mais maduro não é possível ter um plano de previdência privada é um dos mitos mais propagados sobre essa modalidade.
Para Sahib, quanto mais cedo a pessoa começar a se planejar para a aposentadoria melhor. Mas aqueles que passaram dos 45 anos de idade, por exemplo, também podem acumular recursos suficientes para uma aposentadoria tranquila. “Estamos vivendo mais, portanto, mesmo que um pouco mais tarde, ainda há tempo para contratar um plano de previdência e garantir uma aposentadoria mais tranquila”, afirmou Sahib.
Pensar que o plano complementar é para poucos também deixa de fora muitos que poderiam garantir uma renda extra para o futuro. De acordo com o especialista, hoje, já existem no mercado planos que permitem contribuições a partir de R$ 30 por mês, bem como existem planos que podem receber aplicações a qualquer momento depois de abertos.
Outro mito é aquele que diz que essa modalidade de investimento é para determinado perfil de renda e classe social. Sahib explica que embora os planos de previdência privada sejam recomendados àqueles que têm salário superior ao valor máximo que pode ser pago pela Previdência Social, eles podem ajudar como complemento àqueles com renda mais modesta.
E para quem pensa que os recursos do investimento não são penhoráveis, Sahib esclarece. “Assim como qualquer outro recurso, os valores acumulados em um plano de previdência são passiveis de penhora”.
Outro mito apontado pelo especialista: o de que é sempre melhor investir em fundo de investimento ou CDB, em vez de um plano de previdência. Essa afirmação dependerá de diversos fatores. Como em qualquer outro investimento, saber se ele será mais vantajoso que outro dependerá do próprio perfil do investidor, dos recursos que ele pretende disponibilizar e prazos. “Se for investir em longo prazo, é sempre bom simular para verificar qual a melhor opção”, sugere Sahib.

As cinco verdades

A previdência privada não tem apenas mitos. Existem muitas verdades sobre esses planos que devem ser reiteradas. Antes de escolher seu plano, é preciso ter em mente que fundos de previdência são aplicações de longo prazo. E resgatar o investimento antes do prazo pode não ser vantajoso, pois a alíquota de Imposto de Renda pode ser mais alta do que a de outros fundos de investimentos de longo prazo.
Quem mantém os investimentos durante um longo prazo pagará menos IR, pois quanto mais tempo o dinheiro permanece aplicado, menos imposto se paga, de acordo com a tabela regressiva.
Outra verdade e vantagem dos planos privados é a possibilidade de o investidor definir quanto e quando quer receber sua renda. “É possível optar, ainda, pela melhor forma de recebê-la, optando entre resgates ou transformação de renda”, afirma Sahib.
Além disso, de acordo com o especialista, o segurado pode utilizar os planos de previdência em seu favor, usufruindo de incentivos fiscais e tributários, utilizando-os como parte de seu planejamento financeiro.
Com planos privados, os segurados também podem migrar de uma empresa para outra, sem perdas de recursos. Na fase de acumulação, explica o especialista, a lei permite que o participante ou segurado migre a reserva que tem para outra instituição, sem custos adicionais. Contudo, durante a fase de aposentadoria não são permitidas transferências de reservas.

Fonte: Portal InfoMoney.

Você gostou deste artigo? Compartilhe:

1 comentário to “Mitos e verdades da previdência privada”

  1. O cliente deve escolher fazer sua previdência com a instituição que aplica melhor seu dinheiro, dentro da modalidade escolhida. E onde se paga a menor taxa de carregamento e administração financeira, pois no período de recebimento do benefício faz muita diferença nos valores a se receber.

Deixe seu recado