Warning: preg_match() [function.preg-match]: Unknown modifier 't' in /home/edufinan/public_html/wp-content/plugins/mobile-website-builder-for-wordpress-by-dudamobile/dudamobile.php on line 603
Como proteger seu dinheiro | Instituto de Educação Financeira

Finanças Pessoais

Como proteger seu dinheiro

O 13° salário garante uma folga no orçamento para comprar presentes e, também, para fazer reservas futuras. Como o Brasil se tornou um país de juros mais baixos, é preciso mudar o perfil de investimentos para obter melhores resultados, alerta o professor de Finanças Pessoais da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), escritor e consultor do Banco Itaú, Jurandir Sell Macedo. Uma das opções é investir no mercado de ações.

Como aplicar bem o 13º salário?

Jurandir Sell Macedo – Muita gente encara o 13º como um presente e aí entra aquele famoso “eu mereço”. Primeiro, não é um presente, faz parte do salário. Se a pessoa está endividada e se presenteia gastando essa renda, estará enfrentando um custo de juros de 6% a 10% ao mês. A questão básica é, se está endividado, paga a dívida primeiro e entra o ano novo com paz de espírito, que é o que o dinheiro traz de melhor.

Que reservas recomenda fazer?

Macedo – Depois de pagar as dívidas caras, é preciso fazer uma reserva de imprevistos. A maioria das pessoas não tem. Uma pesquisa no Banco Itaú apontou que, para as pessoas, reserva de imprevisto é ter um cartão de crédito sem usar dentro da gaveta. Aí, como todo mundo tem imprevistos, uma hora a pessoa cai nos juros elevados. Quem tem salário precisa ter três vezes o gasto do mês numa reserva aplicada. Quem não tem remuneração fixa, deve ter uma reserva que cobre seis meses de despesas. O terceiro passo é contribuir para a reserva de aposentadoria. Se a pessoa coloca até 12% da sua renda e declara pelo formulário completo, consegue abater do imposto de renda o que vai pagar do tributo no ano que vem. Depois, dá para destinar uma parte para a compra de presentes e férias. Recomendo evitar presentes em excesso e focar o espírito de família e união.

Que cuidados ter com investimentos nesta fase de juros baixos?

Macedo – Os juros estão mais baixos e o desejável é que continuem baixos por muitos anos. Por isso é preciso mais sofisticação nos investimentos. Com juros baixos, quem tem chances de ganhar mais são as empresas e, para investir em empresas, a melhor forma é comprando ações. Só que as ações também estão caindo e podem continuar assim por um longo tempo. A melhor estratégia é investir em ações um pouquinho todos os meses, ao longo de toda a vida produtiva. Assim, os riscos ficam diluídos.

Há outras boas opções?

Macedo – Hoje, exitem fundos de gestão passiva que diversificam os investimentos. O Bova11 é um deles. A ideia é que as pessoas entendam que os juros vão continuar baixos e que é preciso adaptar os seus investimentos aos seus objetivos. O que a gente fazia antigamente, só aplicando num fundo DI não dá mais. O fundo DI só serve para o curto prazo, dá liquidez. Se você quer ganhar dinheiro terá que arriscar, seja em NTN-B de longo prazo, seja em ações. As NTN-Bs dão juros fixos, mas têm que ser de longo prazo. Elas também podem cair, tem um risco. O importante é a pessoa investir dentro dos seus objetivos.

Por que os bancos estão oferecendo educação financeira?

Macedo – Quando o país conseguiu controlar a inflação, os bancos passaram a conceder mais crédito. E como os clientes não tinham educação financeira, se superendividaram, deixaram de pagar os bancos e eles passaram a ter um custo muito alto de provisão para devedores duvidosos. Perceberam que seria inviável essa situação.O primeiro passo foi orientar clientes sobre os tipos de crédito. Cada produto é bom para alguma coisa. O cheque especial é ótimo para emergências. A compra de ações é ótima para o futuro, mas não para quem quer liquidez imediata. Os bancos estão fazendo uma escolha. Preferem um cliente que não dá muito dinheiro agora, mas que vai continuar com a instituição por muitos anos.

E os investimentos em imóveis?

Macedo – Imóvel deve fazer parte dos investimentos de todas as pessoas. Ter uma casa própria é muito interessante, dá tranquilidade. O que acontece é que o brasileiro acaba investindo um percentual muito elevado em imóveis. Mas eles têm baixa liquidez, riscos de o preço subir e descer e é preciso considerar a depreciação. A forma mais inteligente de investir em imóvel é comprar fundo imobiliário.

Pioneiro

Doutor em Finanças Comportamentais e pioneiro na implantação da disciplina de Finanças Pessoais numa universidade brasileira, a UFSC, Jurandir Sell Macedo tem uma trajetória voltada à gestão do dinheiro de pessoas físicas. Com pós-doutorado em Psicologia Cognitiva pela Universidade Livre de Bruxelas, além de professor da universidade, também é consultor do Itaú e palestrante da Expo Money desde 2003. É autor dos livros A árvore do dinheiro e O tempo na sua vida.

Ciclismo

Natural de Bocaina do Sul, município próximo de Lages, Jurandir Macedo mudou para Florianópolis, com a família, ainda criança. Mas não abandonou o que gostava de fazer na Serra Catarinense: andar de bicicleta.

– O que gosto de fazer é andar de bicicleta. Sou fissurado. A gente já foi para o Chile, atravessamos os Andes duas vezes de bicicleta. Também adoro estar em contato com a natureza – diz.

Para essas aventuras, Jurandir conta com a companhia da mulher Celina Ramos Macedo, tanto no exterior, quanto em Santa Catarina.

Em família

Em viagens de férias ou nos períodos de estudos no exterior, o professor Jurandir teve, também, a participação dos filhos Julia (D) e Gustavo (E). Na foto, com a dupla no Vulcão Villa Rica, no Chile.

A atuação do professor não se resume a viagens e palestras na Expo Money. Ele se define como um worklover, alguém que gosta de trabalhar bastante e, no final se sente cansado, mas feliz. Ele conta que gosta de uma explicação do escritor e filósofo Mário Cortella, a de que cansaço é resultado de um esforço com sentido.

Leia a matéria completa.

 

Da coluna de Estela Benetti, do jornal Diário Catarinense
Você gostou deste artigo? Compartilhe:

Deixe seu recado