Warning: preg_match() [function.preg-match]: Unknown modifier 't' in /home/edufinan/public_html/wp-content/plugins/mobile-website-builder-for-wordpress-by-dudamobile/dudamobile.php on line 603
CNC: endividamento das famílias fica estável em junho | Instituto de Educação Financeira

Finanças Pessoais, Notícias

CNC: endividamento das famílias fica estável em junho


Do Estado de São Paulo

As famílias brasileiras continuam endividadas, mas aumentaram ligeiramente sua intenção de consumir, segundo dois levantamentos divulgados hoje pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

O nível de endividamento das famílias ficou em 64,1% em junho, de acordo com a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (PEIC-Nacional). O resultado ficou praticamente estável em relação aos 64,2% registrados em maio. No entanto, na comparação com o mesmo período de 2010, houve forte alta no endividamento. Em junho do ano passado, o nível de endividamento estava em 54,0%.

Já o porcentual de famílias com contas ou dívidas em atraso ficou em 23,3% em junho, mostrando um recuo frente a maio, quando atingiu 24,4%. O nível de inadimplência também ficou abaixo do registrado em junho de 2010, de 23,5%. O porcentual de famílias que não terão condições de pagar seus débitos ficou em 8,4%, apontando uma ligeira queda em relação ao resultado de maio, de 8,6%, mas acima do registrado no mesmo período do ano passado, de 7,8%.

Consumo

Apesar dos números desfavoráveis sobre o endividamento e inadimplência, a Intenção de Consumo das Famílias (ICF), também medida pela CNC, registrou leve alta em junho, de 0,7% frente a maio, atingindo os 130,8 pontos. Após cinco quedas consecutivas, foi o primeiro resultado positivo em 2011. Apenas o item “compras a prazo” registrou queda, de 0,4%. Todos os outros componentes do indicador tiveram altas. Mas, na comparação com junho de 2010, o ICF teve queda de 1,7%.

Entre as regiões, apenas Norte e Nordeste tiveram queda na intenção de compra em junho, de 2,2% e 0,5%, respectivamente. Ainda assim, a região Nordeste continua a mais otimista (133,8 pontos), enquanto o Norte apresenta a menor intenção de consumo (126,2 pontos). Depois de cinco retrações consecutivas, as famílias com renda de até dez salários mínimos voltaram a apresentar maior intenção de consumo em relação ao mês anterior, com uma alta de 0,9%

Você gostou deste artigo? Compartilhe:

Deixe seu recado