Warning: preg_match() [function.preg-match]: Unknown modifier 't' in /home/edufinan/public_html/wp-content/plugins/mobile-website-builder-for-wordpress-by-dudamobile/dudamobile.php on line 603
Aposentadoria mais tranquila | Instituto de Educação Financeira

Finanças Pessoais, Notícias

Aposentadoria mais tranquila

Conseguir sobreviver com o dinheiro da aposentadoria paga pelo sistema público é uma preocupação de 69% dos trabalhadores brasileiros, segundo o Estudo Internacional MetLife de Tendências de Benefícios para Funcionários. Porém, apenas três em cada dez pessoas poupam com vistas ao período de inatividade. Esse número deveria ser bem maior na avaliação dos especialistas, que recomendam um plano de previdência privada aliado a outros investimentos para quem pretende ter um descanso merecido.

“Quando você se aposentar, terá tempo para fazer o que quiser, um monte de opções, mas vai precisar de dinheiro. O início da aposentadoria é uma lua de mel e a pessoa vai consumir muito até um ponto de acomodação”, lembra o consultor e palestrante da Expo Money, Augusto Saboia.

Por isso, é importante avaliar o padrão de vida que pretende ter, onde vai morar ou se vai querer viajar. Todos esses pontos vão influenciar na quantidade de dinheiro que será necessária poupar. “Alimentação saudável, lazer, plano de saúde e medicamentos têm custos e viver só com o dinheiro do INSS será difícil”, alerta.

“As pessoas têm dificuldades em visualizar o futuro, mas esse assunto precisa ser levado a sério porque o orçamento público para a previdência está comprometido, a população está envelhecendo e vai receber a aposentadoria por muito mais tempo”, destaca o professor da área de finanças da Fecap, Marcelo Cambria.

A dica básica da professora do Insper, Angela Menezes, é quanto mais cedo começar a investir pensando no futuro melhor, porque começará com contribuições de valores menores. Atualmente, é possível encontrar planos com contribuições mensais de R$ 30. Mas não é só isso que o investidor deve avaliar ao optar pela previdência privada.

É preciso levar em consideração a questão tributária. Ao optar entre Plano Gerador de Benefício Livre (PGBL) ou Vida Gerador de Benefício Livre (VGBL) deve se adequar ao perfil da declaração do Imposto de Renda. Outra dica é pesquisar as taxas cobradas pelos bancos, que corroem os rendimentos e vão fazer diferença na hora do resgate.

A advogada Cibelle Demattio Leonardo, de 28 anos, começou a pagar um plano de previdência com contribuição mensal de R$200 logo após o término da faculdade, há quatro anos.

“Tenho uma preocupação em me aposentar só com o benefício do governo, e além disso, em casa, sempre fui incentivada a poupar”, afirma a jovem, que também tem recursos em fundos de investimento.

Diversificar

Aliar o plano de previdência com outros tipos de investimentos é justamente a recomendação dos especialistas. A poupança é a modalidade mais tradicional, mas sua rentabilidade é baixa. Mas por ser isenta de Imposto de Renda, a modalidade é indicada para valores até R$ 10 mil.

Acima desse valor, o investidor pode partir para renda fixa, Certificado de Depósito Bancário (CDB) e Tesouro Direto, por exemplo.

Já para quem tem um perfil mais arrojado e não tem muitas preocupações com as oscilações da bolsa de valores pode investir em ações. Mas Cambria alerta que a bolsa é um investimento de longo prazo e inclui riscos. Por isso, é importante buscar uma boa orientação e instituições confiáveis.

O site da Bolsa de Valores de São Paulo ajuda na escolha da corretora. “O investidor não deve aplicar tudo em ações, mas mesclar seus investimentos. Nesse momento de baixa no mercado de ações, pode-se achar boas opções para compra”, diz Cambria.

Do Portal Jornal da Tarde – SP
Você gostou deste artigo? Compartilhe:

Deixe seu recado