Warning: preg_match() [function.preg-match]: Unknown modifier 't' in /home/edufinan/public_html/wp-content/plugins/mobile-website-builder-for-wordpress-by-dudamobile/dudamobile.php on line 603
8 maneiras de ganhar dinheiro gastando mais | Instituto de Educação Financeira

Finanças Pessoais, Notícias

8 maneiras de ganhar dinheiro gastando mais

Pesquisa realizada pela FGV mostrou que cada ano de pós-graduação cursado corresponde a mais de 40% de aumento na renda mensal

Alguns gastos, quando bem pensados, perdem o caráter de despesa e podem se tornar verdadeiros investimentos. Gastar dinheiro com inteligência, além de evitar gastos inúteis, que podem causar grandes arrependimentos, pode trazer enormes retornos financeiros a curto e longo prazo.

1) Vestir-se bem no trabalho

Uma pesquisa do site CarreeBuilder.com, um dos maiores sites de empregos dos Estados Unidos, revelou que 41% dos empregadores acreditam que pessoas que se vestem bem ou de maneira mais adequada ao ambiente profissional são promovidas com mais frequência do que outras.

Segundo a pesquisa, vestir-se bem pode ser mais importante em algumas áreas do que outras. No setor financeiro, 55% dos entrevistados disseram que quem se veste de maneira adequada tem mais chances de ser promovido e 51% dos respondentes do setor de vendas, contra 37% dos profissionais de TI.

Um outro estudo, encomendado pela Procter & Gamble e executado pela Harvard em parceira com a Boston University mostrou também que a maquiagem aumenta a percepção de confiabilidade e competência sobre a mulher no ambiente profissional. Em outras palavras, as pesquisas mostram que em matéria de vestimentas, em alguns casos, o caro pode sair muito barato.

O professor do presidente do Instituto Brasileiro de Finanças, Perícias e Cálculos (Ibrafin), Anísio Castelo Branco explica que alguns gastos, quando bem pensados, se revertem em investimentos. “Uma mulher, por exemplo, que percebe que ao comprar uma roupa terá uma grande satisfação pode aumentar a autoestima e, portanto, pode trazer retornos financeiros, então vale a pena comprar”, comenta.

2) Aprimorar os investimentos

Apenas ganhar um bom salário não é sinônimo de enriquecemento, é preciso também saber como gastar, como poupar e como multiplicar a renda. Sobretudo no cenário atual, de queda nas taxas de juros, alguns investimentos como a poupança já não garantem mais um retorno tão vantajoso. Para obter as mesmas rentabilidades da época em que as taxas eram altas, novas formas de investimento devem ser pensadas.

Aplicações em Tesouro Direto, CDBs e fundos DI, já oferecem condições mais vantajosas que a poupança em alguns prazos. Até mesmo em um cenário de crise do mercado, aplicações em renda variável menos voláteis podem ser boas alternativas, como as ações quem pagam bons dividendos, os fundos imobiliários e os títulos e fundos de crédito privado.

E onde entra o gasto? Entra justamente na contratação de um consultor financeiro ou uma corretora para auxiliar a guiar os investimentos. Com a nova dinâmica de juros baixos, ampliar o patrimônio pode se tornar uma tarefa mais complexa e um olhar profissionalizado pode cair muito bem.

Além do conforto imediato de saber que alguém com experiência está cuidando dos seus investimentos, contratar um especialista libera tempo para maior dedicação à carreira, o que já pode trazer alguns retornos, e pode levar a um melhor aproveitamento do dinheiro. Mas, é importante ressaltar, que mesmo contando com a ajuda de um profissional, é fundamental acompanhar os rendimentos e se certificar de que os investimentos estão sendo revertidos a aplicações que condizem com as suas filosofias.

3) Contratar profissionais para se economizar tempo com algumas tarefas

Muitas vezes o tempo pode ser o ativo mais importante. Por isso, neste item, a principal recomendação é pensar um pouco sobre a relação custo-oportunidade. O raciocínio básico consiste em avaliar se o valor da sua hora de trabalho superaria o gasto com a hora de trabalho de uma outra pessoa, que seria designada a realizar uma tarefa que antes era feita por conta-própria.

Por exemplo, alguém que faz o serviço doméstico e com isso consome quatro horas do dia, se a hora de trabalho custar 30 reais estará gastando 120 reais por dia. Contratando alguém que faça o serviço doméstico por 5 reais a hora, seriam gastos 40 reais por dia. Se as horas gastas antes com o trabalho doméstico forem convertidas no trabalho principal, serão gastos pelo serviço doméstico 40 reais por dia, mas serão obtidos 120 reais a mais, o que resultaria um ganho de 80 reais a mais por dia.

Se trabalhar mais horas está fora de cogitação para você, o tempo livre obtido pode ainda ser usado apenas para relaxar, pensar em novos investimentos e estudos que podem abrir espaço para boas ideias e melhorar o desempenho no trabalho. São atitudes que trazem retornos não tão paupáveis a curto prazo, mas que podem ter resultados bastante significativos a longo prazo.

A dica vale ainda para outros âmbitos, como contratar algum profissional para realizar algum trabalho que não precisa necessariamente ser feito pessoalmente, como organizar uma apresentação, traduzir algum documento ou catalogar informações. Se estes serviços forem mais baratos que a sua hora de trabalho, vale o investimento.

4) Fazer uma pós-graduação

Uma pesquisa realizada pela Fundação Getúlio Vargas mostrou que cada ano de pós-graduação cursado, incluindo os MBAs, corresponde a mais de 40% de aumento na renda mensal.

Para verificar o retorno deste investimento, vamos pegar o exemplo dos cursos de MBA da própria FGV. Lá um MBA custa por volta de 20.000 reais semestrais. Para bancar um MBA de 40.000 reais anuais, seriam necessários aproximadamente 3.300 reais mensais. Ou seja, seguindo a lógica da pesquisa, uma pessoa com um salário de 8.250 reais, com o MBA teria um aumento de 40% mensais, ou de 3.300 reais, o suficiente para bancar o curso apenas com o aumento recebido.

Se em um ano o salário passou a 11.550, depois de dois anos de curso, com mais um aumento de 40%, o salário teria um acréscimo de 4.620 e passaria a 16.170, o suficiente para no segundo ano pagar as mensalidades de 3.300 reais e ainda obter 4.620 reais a mais do que os 8.250 reais iniciais (16.170 – 3300 – 8250 = 4.620). Sendo assim, em um ano é possível anular os gastos com o curso e em dois anos, além de neutralizar os gastos, superar os gastos ganhando um adicional de 4.620 reais.

Outro estudo, realizado pela Robert Half, empresa de recrutamento especializado, também revelou as vantagens da pós-graduação. Segundo a pesquisa, 66% dos profissionais com um MBA tiveram aumento salarial após a realização do curso e 48% dos entrevistados foram promovidos. Entre os profissionais que tiveram aumento salarial após a conclusão do MBA, 22% receberam mais que o dobro do salário que ganhavam e mais de 30% tiveram aumento de remuneração entre 20% e 50%. A pesquisa entrevistou 50 executivos das áreas de tecnologia da informação (TI), marketing e vendas, engenharia, finanças, contabilidade e mercado financeiro.

5) Contratar um consultor para reavaliar dívidas

Contratar um consultor financeiro para reavaliar suas dívidas é um ótimo exemplo de como gastar menos, principalmente com as novas oportunidades que surgem com a queda nas taxas de juros cobradas pelos bancos em algumas linhas de crédito. Um bom consultor pode fazer a simulação, por exemplo, da transferência de um financiamento de imóvel de um banco para outro e pode levar o cliente a obter economias de mais de 100.000 reais.

Na Caixa, por exemplo, algumas linhas de financiamento imobiliário caíram para 9% ao ano. Segundo o presidente do Instituto Brasileiro de Finanças, Perícias e Cálculos (Ibrafin), Anísio Castelo Branco, as taxas cobradas por outros bancos variam em torno de 12%. Tomando como exemplo um financiamento de 450.000 reais, em 30 anos, com uma taxa de juros de 12% ao ano, se o cliente transferir a dívida para a Caixa quando ainda tiver um saldo devedor de 375.000 reais e ainda restarem 25 anos de parcelas é possível economizar um total de 128.761 reais migrando a dívida.

A portabilidade de crédito é um direito do consumidor previsto pela Resolução 3.401/2006 do Banco Central. Segundo a medida, quem já possui um empréstimo ou financiamento pode transferir sua dívida para outra instituição sem a cobrança de taxas.

O consultor pode mostrar também opções de empréstimos com taxas de juros menores, que podem ser interessantes para quitar uma dívida com juros altos. Segundo a Proteste – Associação de Consumidores, as taxas de juros anuais do crédito rotativo podem chegar a até 621,38% no caso de cartões de supermercados e alcançar 549% ao ano nos cartões de postos de combustível. E de acordo com a Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac), a taxa média do rotativo do cartão de crédito é de 238,3% ao ano. Se estas dívidas forem pagas e refinanciadas pelo crédito consignado (que desconta as parcelas diretamente da folha de pagamento) pode haver uma grande economia, já que as taxas são algumas das menores do mercado e custam em média 1,93% ao mês (23,16% ao ano), segundo dados da Nota de Política Monetária e Operações de Crédito do Banco Central do mês de abril.

6) Comprar utensílios e adotar tecnologias que aumentem sua eficiência

O mesmo conceito de custo-oportunidade também deve ser pesado nesta dica. Se a sua hora de trabalho é mais cara do que o preço despendido em uma ferramenta que pode ajudar na economia de tempo, vale o investimento. Com mais horas de trabalho, algumas vezes é possível compensar o custo do objeto comprado e ainda ter um salário maior no final do mês.

Os exemplos vão desde uma máquina de fazer café, um barbeador elétrico e um secador de cabelos – que podem ajudar a economizar alguns minutos de manhã – até a compra de um smartphone. Com o celular conectado é possível resolver pendências a qualquer hora. Ele pode servir para adiantar um trabalho durante um tempo que seria perdido na espera de uma reunião externa atrasada ou de uma consulta médica, por exemplo, além de reduzir gastos com deslocamentos para reuniões e pagamento de contas.

Algumas aplicações também podem trazer mais eficiência. O software Gotomeeting, por exemplo, permite reunir várias pessoas em locais diferentes e através de diferentes aparelhos, como computador ou tablete. A ferramenta ajuda a organizar desde uma simples reunião até um treinamento mais elaborado. A versão mais básica do produto custa a partir de 49 dólares por mês. E outra ferramenta interessante é o Thinkfree, uma versão do pacote Office na nuvem. Com 1 GB de espaço, é possível editar e visualizar documentos como planilhas, PDFs e apresentações. A ferramenta pode ser usada em qualquer sistema operacional e em aparelhos móveis.

7) Fazer Networking

Uma pesquisa feita com 200 diretores de recursos humanos da consultoria norte-americana especializada em carreira, Challenger, Gray and Christmans, constatou que estabelecer bons contatos é a melhor forma de conseguir recolocação profissional. O networking levou a nota mais alta (5) de 48% dos entrevistados, seguido pelas redes sociais com 43%.

Gastar dinheiro para participar de eventos, encontros de investidores ou empreendedores, fazer um curso, investir em participações em sociedades profissionais, além de jantares angariadores de fundos podem ajudar bastante a fortacelecer a rede de relacionamentos e futuramente trazer grandes retornos.

Tatiana Almendra Dutra, consultora na área de desenvolvimento e carreira da Fundação Instituto de Administração (FIA) dá ainda uma outra dica de gasto que pode trazer retornos. “Contratar um coaching e fazer uma sessão de aconselhamento profissional. Não só ajuda a ampliar a rede de contatos, mas dá um foco, você começa a procurar coisas que você não procuraria antes”, diz.

Tatiana explica que atualmente a média cobrada pelo mercado para uma sessão de coaching está por volta de 250 a 300 reais por uma hora e meia. Além de auxiliar o cliente a aprimorar a rede de contatos, a consulta pode levar o cliente até mesmo a perceber que seu salário está desvalorizado e mostrá-lo como conseguir uma recolocação ou pedir um aumento.

8) Gastar com saúde

Corpo são, mente sã. O famoso provérbio poderia facilmente ser convertido para: Corpo são, mente sã e retorno financeiro garantido. Exageiro? Com certeza não. Um estudo feito pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná, intitulado “Qualidade de vida no trabalho e saúde: evolução histórica e perspectivas de inovação”, reuniu diversas pesquisas sobre a relação entre saúde e produtividade e concluiu que a saúde física e mental é um dos fatores econômicos mais importantes para o padrão de vida, estando a falta de saúde diretamente associada ao fracasso para boa produtividade e à diminuição da renda familiar.

O estudo cita uma experiência realizada por uma empresa americana que adotou estratégias de investimento em saúde dos profissionais e obteve um retorno de 3,93 dólares a cada dólar investido. Outro estudo citado, feito também nos Estados Unidos, mostrou que o investimento de cada dólar em atividade física (tempo e equipamento) resulta na economia de 3,20 dólares em despesas com a saúde.

Desde exemplos mais factíveis, como pagar um tratamento qualificado para parar de fumar, economizando imediatamente com cigarros e com um eventual tratamento de saúde futuramente, até a realização de atividades físicas ou mesmo o pagamento de uma terapia podem ajudar não só a manter saúde física e mental como financeira. Os retornos podem ir desde o aumento na eficiência até o aumento da criatividade, que pode abrir portas para retornos financeiros imensuráveis.

Do portal EXAME
Você gostou deste artigo? Compartilhe:

Deixe seu recado