Warning: preg_match() [function.preg-match]: Unknown modifier 't' in /home/edufinan/public_html/wp-content/plugins/mobile-website-builder-for-wordpress-by-dudamobile/dudamobile.php on line 603
6 respostas às dúvidas financeiras mais buscadas no Google | Instituto de Educação Financeira

Finanças Pessoais, Notícias

6 respostas às dúvidas financeiras mais buscadas no Google

Ao fazer uma busca no Google, basta digitar as primeiras palavras para que os robôs completem a frase automaticamente, de acordo com as pesquisas mais feitas por outros usuários e com o conteúdo das páginas indexadas pelo Google. Em outras palavras, o Google completa as frases com aquilo que você normalmente quer saber. Digitando “quanto custa”, o Google completa com “um iPhone”, “um Camaro” ou um “implante dentário”. Ou ao escrever “Por que é tão caro” os algoritmos logo completam com “instalar um Split”.

Usando a ferramenta de autopreenchimento, EXAME.com observou quais são as principais dúvidas sobre dinheiro nas buscas e procurou as respostas para cada uma delas. Uma adaptação brasileira de uma reportagem do jornal britânico The Guardian, que usou a mesma estratégia para checar as principais dúvidas dos usuários do Google no Reino Unido.

Veja a seguir 6 repostas que você queria encontrar. Em azul estão as palavras manualmente digitadas e em vermelho as palavras sugeridas pela ferramenta do Google.

1) Por que é tão caro instalar um Split

As pessoas vivem se perguntando por que certos produtos são tão caros e, de acordo com o autopreenchimento do Google, o ar condicionado Split tem grandes chances de ser um deles. Entre os resultados da busca, é possível entender por que a dúvida é tão recorrente. Em fóruns, usuários relatam que o serviço cobrado chega a custar 400 ou 500 reais, enquanto o aparelho costuma custar entre 700 e 1.000 reais.

Vanessa Guimarães Müller, gerente da Lest Brasil, empresa que realiza em média oito instalações de ar condicionado Split por dia, explica que este tipo de aparelho possui duas peças, uma que resfria o ambiente e fica dentro da casa, chamada de evaporadora, e outra que contém o compressor e fica na parte externa, chamada de condensadora. Atualmente, segundo Vanessa, este é um dos modelos de ar condicionado mais comercializados por ser mais econômico e silencioso.

De acordo com a gerente, o que encarece o serviço é a complexidade da instalação, já que é preciso instalar uma tubulação para ligar as duas partes do aparelho. “Não é possível apenas um profissional realizar o serviço, é preciso um ajudante e um instalador especializado em instalação de ar. Não é como instalar uma geladeira. O serviço demora de duas a três horas, e os profissionais furam a parede com uma serra, usam uma bomba de vácuo para tirar a umidade do produto e tirar o gás para só depois colocar o cano de cobre que liga as partes interna e externa do ar, o dreno e uma isolação blindada para o cano”, explica.

Mesmo diante de toda a complexidade para a instalação, o site Ar Condicionado Split divulgou um vídeo para os incomodados com o valor da cobrança que quiserem se arriscar a fazer o serviço por conta própria.

2) Quanto custa um iPhone / um Camaro / um Veloster / um implante dentário

Digitando “quanto custa”, é de se esperar que os maiores desejos de consumo completem a frase. Os três primeiros itens que completam a frase de fato o são: “um iPhone”, “um Camaro” e “um Veloster”, nesta ordem. Mas o quarto item mais pesquisado destoa um bocado do resto da lista: “um implante dentário”.

No caso do iPhone, se a compra for feita pela Apple, o valor do modelo 4S de 16 GB é 1.999 reais. Mas, comprando nas lojas de operadoras, os preços podem variar de acordo com o plano contratado. Na Oi, por exemplo, o mesmo 4S custa 2.099 reais, e se o cliente contratar o plano mais completo da operadora, o celular pode sair por 599 reais. Já nos Estados Unidos, a diferença é bem grande. O preço do iPhone 4S de 16GB anunciado pela Apple caiu para 99 dólares depois que o iPhone 5 foi lançado oficialmente.

Quanto ao Chevrolet Camaro, o carro tem preços sugeridos pela Chevrolet a partir de 203.000 reais. Por este valor inicial, é possível comprar o modelo SS, motor 6.2, com itens de fábrica como câmera de estacionamento com display no espelho retrovisor interno, banco do passageiro dianteiro com regulagem elétrica de distância e encosto com seis posições.

O terceiro custo mais buscado é de outro carro, um “pouco” mais barato, o Veloster da Hyundai. A montadora não apresenta o preço sugerido do carro no site, mas de acordo com a tabela Molicar, que divulga os preços médios dos veículos vendidos, o preço do Veloster 1.6, zero quilômetro, é de 85.500 reais.

Sobre o implante dentário, fontes consultadas por EXAME.com afirmam que o preço pode variar entre 1.000 e 5.000 reais, incluindo o serviço, a coroa e a prótese dentária sobre o implante instalado.

Não é possível encontrar uma tabela pública com um preço médio e a própria Associação Brasileira de Odontologia (ABO) não divulga preços de serviços no geral. Mauro Piragibe Jr., cirurgião-dentista e consultor da ABO, explica que a entidade não fornece esse tipo de informação porque os custos podem variar muito. “Existem várias marcas de implantes, que podem afetar o preço, sendo importados ou nacionais. O preço pode mudar e o custo também depende muito da localização do consultório e da qualificação do dentista”, afirma.

A dica de Piragibe para comparar os preços seria mesmo conversar com o dentista que o paciente já está habituado a se consultar para que ele indique profissionais especializados em implantodontia. “Entre os profissionais indicados, o paciente pode fazer a comparação. É importante que seja um profissional de confiança, por isso procurar pela internet pode ser arriscado”, orienta.

4) Como pagar o licenciamento

O licenciamento é a primeira sugestão do Google quando o usuário digita “como pagar”. O licenciamento de veículos é pago anualmente e é destinado ao Departamento Nacional de Trânsito (Denatran). O valor é usado para comprovar por meio de revisões e testes se o veículo tem condições para circular nas diversas ruas, rodovias e estradas de todo o país. A taxa do licenciamento varia de acordo com o estado. Em São Paulo e no Distrito Federal, por exemplo, ela custa 62,70 reais, em Pernambuco a taxa é de 64,56 reais, em Minas Gerias é de 66,38 e no Mato Grosso é de 100 reais.

Só é possível efetuar o licenciamento depois que forem quitados o seguro obrigatório e outros encargos, como multas e IPVA. O pagamento pode ser feito em agências bancárias, caixas eletrônicos ou pela internet.

Segundo o Denatran, a lista das agências credenciadas, os valores das taxas e a data limite do pagamento deve ser pesquisada diretamente nos departamentos estaduais de trânsito. No site do Denatran é possível encontrar a lista com os sites dos Detrans por estado.

5) Qual é o rendimento da poupança

Ao questionar “qual é o rendimento”, seria estranho se a mais popular aplicação do país não fosse sugerida pelo Google. E ainda com as novas regras da caderneta, realmente ficou mais complicado entender qual é o rendimento da poupança.

Pois bem, para os depósitos feitos antes do dia 4 de maio de 2012, continua valendo a antiga remuneração da poupança, de 0,5% ao mês mais a Taxa Referencial (TR – taxa média de juros calculada pela média ponderada do rendimento dos CDBs dos principais bancos do país). E para depósitos que foram feitos após essa data, o rendimento é de 70% da taxa Selic mais a TR quando a Selic estiver menor ou igual a 8,5%. Para taxas de juros superiores a esse percentual permanece o rendimento antigo, de 0,5% ao mês mais TR.

Assim, 100 reais investidos na poupança no dia 3 de maio, remunerados pela regra antiga, teriam rendido 2,58%, até o dia 3 de outubro de 2012, totalizando 102,59 reais. Já um investimento de 100 reais feito no dia 4 de maio (data em que começou a vigorar a regra nova) teria rendido 2,02% até o dia 3 de outubro, totalizando 102,02 reais.

5) Como investir na bolsa de valores

Quando a pergunta é “como investir”, “na bolsa de valores” é o termo que imediatamente aparece. Nesta pergunta, a poupança nem aparece entre as quatro primeiras opções de autopreenchimento. Bastante lógico da parte do Google, já que é mais comum que se saiba como investir na poupança do que na Bolsa.

Considerando que o usuário tenha digitado como investir na bolsa de valores, pensando em como investir em ações, eis a resposta para a pergunta: o primeiro passo é buscar uma corretora e preencher um cadastro contratando seus serviços, em que são informados todos os dados financeiros e objetivos de investimento. O usuário ganha então acesso ao home broker da corretora, uma interface que o possibilita comprar e vender ações e outros ativos negociados em Bolsa pela internet. Sempre que é dada uma ordem de compra, a corretora a executa e compra o ativo no mercado, ocorrendo processo semelhante na hora da venda. O pagamento é feito para a corretora que, mediante o pagamento de taxas de serviço, credita as ações adquiridas pelo investidor em sua conta de custódia Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia (CLBC).

Vale ressaltar que é possível aplicar em outros tipos de ativos na bolsa de valores, como cotas de fundos atrelados a índices (os ETFs ou Exchange Traded Funds), cotas de fundos imobiliários e minicontratos futuros (ativos negociados no mercado futuro).

6) Qual banco tem a menor taxa de juros

Quando o assunto são os bancos, o autopreenchimento completa a frase com um assunto que anda bastante em voga, as taxas de juros. A questão pode ter várias respostas, uma vez que um banco pode ter taxas competitivas para certas linhas de crédito e não para outras.

Considerando apenas os bancos grandes, a Caixa é atualmente a instituição com a menor taxa no cheque especial, de 4,29% ao mês ou 65,54% ao ano, segundo tabela do Banco Central que traz as taxas de juros efetivamente praticadas no mercado a cada semana. A taxa é bem menor do que a do banco mais caro, o Santander, que cobra juros de 10,13% ao mês ou 218% ao ano.

No crédito pessoal novamente a Caixa é quem cobra a menor taxa, de 1,86% ao mês ou 24,75% ao ano. E a maior taxa é do HSBC, de 4,23% ao mês e 64,40% ao ano.

Já o banco que cobra a menor taxa de juros para financiamento de veículos, entre os bancos grandes, é o Banco do Brasil. Sua taxa de juros é de 1,25% ao mês ou 16,08% ao ano. E na lanterna fica o Itaú, que pratica juros de 1,82% ao mês ou 24,16% ao ano.

E por fim, para a aquisição de bens, o empréstimo com juros mais baixos mais uma vez é feito pela Caixa, cuja taxa é de 1,85% ao mês e 24,60% ao ano. E a mais alta taxa é do HSBC, com 4,36% ao mês e 66,88% ao ano.

Do Portal Exame.com
Você gostou deste artigo? Compartilhe:

Deixe seu recado